quinta-feira, 18 de janeiro de 2007

BBB - Besteiras e Banalidades Brasileiras

Poucos programas de TV criados no estrangeiro se firmaram tão bem no Brasil quando o Big Brother.

Porém analisando mais profundamente, notamos que o formato é tudo aquilo que o brasileiro comum gosta, como a sequência de capítulos, vilões, mocinhos, como numa novela, as fofocas e intimidades expostas, a possibilidade de influenciar no resultado e etc.

Imaginava-se que após as primeiras edições o interesse pela atração diminuiria, e em certo ponto até diminuiu, mas não drasticamente como "No limite" e outros reality-shows.

Até certo ponto o "boom" inicial dessas atrações foi interessante, mostrando que há uma outra maneira de fazer TV, mas o que temos hoje é apenas mais um besteirol banal. Cada vez mais, como na maioria dos programas da TV, o sexo e a maldade são explorados. Pessoas sem caráter nenhum, sedentas pelo dinheiro e pela mídia entram nesses programas e fazem questão de nos mostrar o que o ser humano é capaz por essas coisas.

Carecemos de programas que exaltem os valores sociais e familiares, mostrem exemplos de um caráter bem formado, apresentem a beleza e poesia da vida sem banalizá-la ou deturpá-la.

É por essas e outras que me recuso a assistir BBB, me envergonhando de outras edições que acompanhei, mas ciente de que sempre é tempo propício para mudar.

Realmente a TV pode ser uma caixinha de fábricar idiotas.

Nenhum comentário: