quinta-feira, 27 de março de 2008

Olhai os lírios do campo

Como diria Salomão, tudo é vaidade. Cada vez mais tornamo-nos pessoas vaidosas, os valores estéticos falam cada vez mais alto. Somos consumidos pelo consumismo. Tornou-se tarefa difícil encontrar pessoas satisfeitas com aquilo que são, porque, de fato, são poucas as que tem consciência do que são. A grande maioria tem consciência do que tem, mesmo tendo pouco ou muito, sempre infelizes porque não alcançam tudo que querem, mesmo os que tem muito.

Meninas, moças e mulheres passam horas todos os dias diante de um espelho procurando a aparência ideal. Cada vez mais cedo procuram médicos para corrigir suas supostas imperfeiçoes. Os homens cada vez mais entram nesse mundo. Quem não precisa fazer academia hoje em dia?

A vaidade da aparência caiu como uma luva no capitalismo, não só pelos nichos de mercado, mas porque também criou a vaidade intelectual. Estudar a vida inteira, graduação, pós, mestrado, doutorado, cursos de inglês, espanhol, chinês, cursos de especialização. O que dizer dos meios de comunicação? TV, celular, internet, recebemos uma enxurrada de informações todos os dias. Estamos no ponto de que uma criança tem mais informações do que um idoso a 30 anos atrás. Será que isso tudo é realmente bom?

Nem a fé e a religião são mais alicerces para uma vida sadia, transformaram-se em meros instrumentos para aqueles que galgam o sucesso.

Acabamos ficando neuróticos quando falta-nos atividades. Não conseguimos mais aproveitar tardes e noites preguiçosas, se cochilamos estamos perdendo tempo que deveríamos investir em nossas outras valorosas tarefas.

Tornamo-nos escravos, não amigos, uns dos outros. Sempre preocupados no que pensarão, no que dirão, se estamos agradando, se não estamos. Nos frustramos porque é impossível agradar a todos sempre.

Não é de se espantar que nossos dias parecem tão curtos.

Fico pensativo sobre as palavras de Jesus, "olhai os lírios do campo", ou "não andeis ansiosos por coisa alguma" ou "basta a cada dia o seu próprio mal".

Diante disso quero tomar algumas resoluções, que visam manter minha saúde mental:

- NÃO vou me vestir conforme os seus padrões;
- NÃO vou viver conforme seu estilo de vida;
- NÃO vou me preocupar com todas as suas opiniões;
- NÃO vou me guiar somento por aquilo que você pensa;
- NÃO vou engolir tudo quanto é informação;
- NÃO vou ser seu escravo, quero ser seu amigo;
- NÃO vou usar a fé como ferramenta, mas como base pra vida.

e

- VOU olhar os lírios do campo, a beleza da criação;
- VOU me vestir da maneira que achar mais confortável;
- VOU me preocupar com as coisas de amanhã, amanhã;
- VOU esperar o tempo para todas as coisas;
- VOU me dedicar às pessoas, não às coisas;
- VOU descansar;
- VOU amar.

Eu poderia enumerar muitas outras coisas nessa lista, mas seria imensa, e acredito que o importante é tentar procurar o equilibrio em cada uma das nossas atitudes.

Quer olhar os lírios do campo comigo?

Nenhum comentário: